domingo , 20 agosto 2017
Home / Destaque / Ministro do STJ nega liberdade ao vereador Jamil Ocké

Ministro do STJ nega liberdade ao vereador Jamil Ocké

Jamil pode perder o mandato

Na manhã dessa quinta-feira (03), o ministro Rogério Schietti Cruz, da sexta turma do Superior Tribunal de Justiça negou o pedido de Habeas Corpus solicitado pela defesa do vereador Jamil Ocké, que se encontra preso desde março em decorrência da “Operação Citrus”. A operação deflagrada pelo Ministério Público do Estado da Bahia para desmantelar um grupo criminoso que praticava fraudes e superfaturamento em procedimentos licitatórios e contratos realizados pela Prefeitura Municipal de Ilhéus.

Com a negativa de Brasília, a situação do vereador Jamil junto à Câmara de vereadores fica insustentável, podendo ocasionar a perda do mandato por faltas conforme o regimento interno no legislativo ilheense preconiza. Na última quarta-feira (02), Jamil chegou a cinco, das doze faltas que contam para cassação de mandato.

Ainda cabe ao vereador Jamil o pedido de mais 30 dias de licença do mandato, já que ele utilizou 90 dias, dos 120 dias baseado no regimento interno

Veja Também

Lei impede construção do Assai Atacadista na Ilhéus-olivença

O Assaí Atacadista pode ser inviabilizado por conta da Lei Municipal 3.746 de Uso e ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *